26/08/09

Never Tear Us Apart & o meu telefone!!!!

A música é a base do BrokenString e é uma constante na minha vida também.
Faz-me sonhar, lembrar bons momentos, recordar maus, sorrir, chorar, no fundo, ser. A música está comigo desde sempre.
Agora tenho um novo toque no telefone que veio de uma brincadeira de um amigo e que é uma música ao som da qual “cuscámos”, rimos, sugerimo-la “a quem de direito”, fomos ouvidos e a cantamos com todas as forças sempre que a mesma é tocada. Ambos adoramos esta música, entre muitas outras, porque quando nos juntamos, cantar é das coisas que mais gozo nos dá!
Mas esta mesma música é uma música que significa muito para mim, como muitas outras, também.
Adoro cantá-la. Diz-me muito e porque sei quem a adora também.
Adoro ouvir alguém muito especial a tocá-la. Ajudei-te a tirar a música, lembraste? E as vezes que tu a tocavas e eu cantava? Lembraste? Fora tantas outras, não é? Isso nunca mais esquecerei.
E como o telefone tocou e ouvi a música, resolvi deixa-la aqui.
Espero que quem a ouça goste tanto dela como eu, mesmo que o significado sentimental da mesma seja diferente.
Hoje estou assim! :)
Fiquem bem!

25/08/09

24/08/09

Berlin

Dizem que berlim é uma cidade fantástica. Na verdade, até hoje, de todas as capitais a que fui, talvez seja a que me "encheu o olho". A visita à cidade começa agora, e apenas prevejo boas recordações. Tudo indica que sim: o voo foi tranquilo, a chegada a horas e até o episódio com o taxista que não falava inglês acabou por terminar bem. Agora é percorrer as ruas da cidade de maquina em punho e deixar-me maravilhar com aquilo que a vista alcança.

18/08/09

Finalmente chegou cá!

É muito fixe!!

17/08/09

No espelho da morte

Aprendi que existem duas atitudes perante a morte. A maioria das pessoas são ensinadas a negá-la significando esta a aniquilação e a perda. Outras olham-na ingénua e insensatamente pensando que por qualquer razão desconhecida tudo correrá bem sem necessidade de grandes preocupações. Não sei se prefiro encará-la como algo a que devemos fugir ou como um acontecimento que se resolverá por si mesmo. Qualquer uma das duas me paresse passar ao lado do seu verdadeiro significado. Prefiro pensar que a morte não é o fim, que esta vida não é tudo o que existe... só assim poderei ansiar por uma vida não despojada de qualquer significado. Fica a reflexão...

Post muito atrasado

É incrível como, quem nós achávamos que conheciamos tão bem como as palmas das nossas mãos, se revelam pessoas tão diferentes. Pessoas que magoam, sabem que o fazem, mas insistem, só e apenas para se protegerem a si próprias, alegando que é para proteger o mundo que as rodeia. Mas proteger do quê??
Podia ser tudo tão mais simples, bastava quererem e terem coragem para tal.
Confio demais nos outros. Entrego as verdades às acções dos outros e por vezes, levo uma bofetada com a mão toda. E doi. Caramba, se doi!
E é triste, muito triste como alguém, a quem um dia foi depositada uma confiança cega e era vista como um exemplo a seguir, nos deita tanto abaixo.

15/08/09

Reencontro


Hoje tive um reencontro fantástico!

Estavam numa prateleira do supermercado. Logo que vi... vieram-me à memórias os meus tempos de colégio e anteriores.
Da mesma forma que os devorava na altura, já devorei um pacote!!!

São os rebuçados diamante da Heller!

Não sei à quanto tempos eles voltaram às prateleiras do supermercado, mas eu vi-os só hoje. Já os dei a apresentar a uma geração muito mais nova e já os fiz reencontrar a alguém que também, como eu, os devorava.

Que belo encontro!! :)

Então o que gostaste mais hoje na praia?
Escavar um buraco e encontrar uma pedra; mergulhar e molhar a cabeça e fazer estes amigos!!

São as coisas mais simples que nos enchem o dia!

12/08/09

Não deixo nada por dizer!!

Eu apenas lamento isto acontecer com mais frequência do que seria desejável… Mas afinal sou / somos humanos!
Uma das piores coisas que pode acontecer numa relação humana, seja ela pura amizade, com colegas, namorados ou cônjuges, é o acumular de palavras ao longo do tempo e acabar por as desabafar de uma só vez e por vezes de forma bastante violenta. Concordo que se deva dizer tudo um ao outro, claro que relacionado com o bom funcionamento da relação. Quantas vezes não o dizemos e depois, acaba-se por ir “lavar roupa suja” com outras pessoas, sei lá, colegas de trabalho, amigos, familiares… em vez de com a pessoa em questão! Claro que nesta tentativa frustrada de lavar roupa fora “de casa”, a roupa acaba por apanhar muitas “manchas” que depois nem com lixívia se conseguem eliminar, ficam entranhadas nas fibras! Independentemente do número de anos em que os protagonistas se conhecem, do grau de cumplicidade que têm, sei lá, eu acho que na verdade há sempre coisas ou qualquer coisa que a outra parte não vai perceber se não forem ditas. Nem sempre entendemos perfeitamente o que a outra pessoa está a pensar ou a querer dizer por meias palavras. A comunicação é realmente uma arma muito poderosa mas que tem e deve ser muito bem usada.
E assim se vai aprendendo na vida, com os nossos próprios erros e muitas vezes com os erros dos outros, desde que nos dediquemos a avaliar e a explorar o sentido do erro dos outros.
Por isso, isto e tudo mais, vou tentar adicionar mais um pilar à minha maneira de ser e postura perante os outros, não deixar nada por dizer (desde que considere importante para fortalecer a relação em causa).
Até porque como consequência do silêncio, pode-se fazer sofrer muito uma pessoa e isso não é humanamente correcto. Sei que tenho e muitas pessoas têm, a capacidade de perdoar, mas uma coisa é muito difícil de acontecer, é o esquecer. E se hoje posso dizer o que seja necessário ser dito ao outro, amanhã não sei se ainda cá estou ou cá estamos para podermos falar. Porquê? Porque a vida é uma merda e por isso, não devo deixar de dizer o que devo dizer, principalmente se for para fortalecer a minha relação com o(s) outro(s) e fazer crescer a minha paz de espírito.

07/08/09

Jantar & Velas & tudo...


... e tudo o que há de direito para o ser humano!!

Ontem jantei com alguém especial... especial não, MUITO especial. E teve direito a tudo....
Não há como um agradável jantar, regado a bom vinho e iluminado pela luminosidade suave e relaxante das velas.
Bom! Bom não...muito bom!
De vez enquando sabe bem. Faz-nos sentir vivos, apreciados, adorados e ajuda-nos a crescer e a fazer crescer.

Teve direito a tudo.... e a uma entrada directa no baú das recordações (foi-se juntar a tantos outros momentos agradáveis que também já tiveram lugar).

;)