25/09/09

SUPER FM... De Volta...


Super! Super efeeeeeeemmmme! Super! Super fm!!!

... Volvidos 11 anos eis que está de volta a melhor rádio de todos os tempos!!!



Fica aqui prestada a nossa homenagem!!!

Não há duas sem três! Esperamos que desta seja de vez!!!

Don't Stop Believin'

SUPER - Sempre Unidos Por Esta Razão

Todos temos asas, mas só alguns as sabem usar




21/09/09

O país continua cheio de gente estranha....


AH, AH, AH, AH ,......

18/09/09

Analogia "Sapóide"


A propósito de mudanças, ouvi algo curioso numa formação que frequentei. Debatíamos o tema da mudança quando, para um melhor entendimento, nos exemplificaram com o caso do sapo. Quando colocado numa panela de água a ferver salta imediatamente, mas se colocado numa panela de água fria em banho-maria acaba por morrer por não se aperceber do aumento constante da temperatura.

Esta é uma situação que se pode transpor à vida de todos nós. Também nós, quando ocorre uma mudança repentina, temos a tendência a fugir, a ficar de pé atrás, a resistir, seja o que for. No entanto se essa mudança ocorrer lentamente, a tendência é para nem sequer nos apercebermos verdadeiramente a não quando a transição já se tornou efectiva. As coisas podem mudar, mas se a mudança for gradual o mais certo é irmos ficando acomodados ao que à nossa volta muda. Até que um dia, acordamos, e de repente tudo mudou. Não hoje, não ontem, mas há dias, meses, anos atrás. Um gesto aqui, uma palavra acolá e num piscar de olhos as peças encaixam. E aí apercebemo-nos que a nossa vida não passa de um puzzle, em que cada peça encaixa exactamente onde tem que encaixar e em mais lado nenhum.

Estamos por um fio!


16/09/09

TeLeGrAmA à LoUcUrA




Tou LOuca STOP os AXônios perderam-se na fenda sináptica STOP as sinapses já eram STOP os fios desconectaram-se STOP As cordas Partiram-se STOP A inteligência turvou-se STOP ou Talvez não STOP O medo tem medo STOP


Ass: Fdx o telegrama saiu mais caro que carta registada

09/09/09

Outra Margem de Mim

"É muito tempo a desejar o tempo
De mudar ventos, levantar marés
É muita vida a desejar o alento
Que faz
Saber ao certo quem és

É funda a toca onde te escondes tanto
Tem a distância entre o silêncio e a voz
A vida rasga bocadinhos gastos do mundo
Vai descascando até chegar a nós

E tu que sabes tanto de mim
Tu que sentes quem eu sou
Dá-me o teu corpo como ponte que me salve
Do que o medo fechou

São muitos dias a perder em vão
Sem nunca entrar dentro do labirinto
É muita vida a não ser o que tu sentes
A planar sobre o que eu sinto

É quase noite, não te escondas mais
Vai desatando até entrar o ar
Dá-me um gesto que me diga o teu fundo
Uma palavra para te tocar

Tu que sabes tanto de mim
Tu que sentes quem eu sou
Dá-me o teu corpo como ponte que me salve
Do que o medo fechou

Tu que sabes tanto do sol
E és uma espécie de outra margem de mim
Olha-me dentro como chão que me agarre

Pode ser esta noite quente
A estrada aberta mesmo à nossa frente
E tu e eu a descobrir o ar
Não é preciso correr
Não é urgente chegar
O que é preciso é viver"

08/09/09

Contra a azia....

I already forget how I used to feel about you.
Our memories makes us who we are. You can't change the past.

01/09/09

Pois é!
Para tentar salvar o ambiente dei cabe da horta!!!
Que vida!